Passar para o conteúdo principal

Outras oportunidades nas instituições e organismos da UE

Consulte a lista que figura mais abaixo para informações sobre as oportunidades de emprego publicadas nas páginas dos sítios Web das seguintes instituições e organismos da UE.
 
 

O Parlamento Europeu é uma instituição dinâmica, inclusiva e multilingue que oferece uma grande variedade de oportunidades de desenvolvimento e de carreira profissional. Os membros do pessoal do Parlamento colaboram diretamente com os deputados do Parlamento Europeu tendo em vista uma democracia europeia vibrante, apoiando-os no seu trabalho de construção de uma Europa mais pacífica, segura, justa e próspera. O Parlamento oferece oportunidades de carreira profissional num vasto leque de serviços relacionados com o trabalho legislativo do Parlamento ou destinados a assegurar o bom funcionamento da instituição. Todos os membros do pessoal desempenham, direta ou indiretamente, um papel importante nos trabalhos do Parlamento, em benefício dos cidadãos europeus, contribuindo para a promoção e defesa da democracia, da liberdade de expressão e dos direitos humanos na UE e no resto do mundo. Para oportunidades de emprego publicadas pela instituição, visite a nova página Web Trabalhe connosco do Parlamento Europeu.

 

Trabalhar para o Secretariado-Geral do Conselho é uma oportunidade única de apoiar e ajudar duas das principais instituições da UE, o Conselho Europeu e o Conselho da UE.
Composto pelos chefes de Estado e/ou de Governo dos países da UE, o Conselho Europeu define o rumo político geral da UE, bem como as suas prioridades fundamentais para o futuro, estabelecendo a agenda estratégica e política da UE ao mais alto nível político. O Conselho da UE negoceia e adota a legislação da UE, coordena as políticas dos Estados-Membros, desenvolve a política externa e de segurança comum e celebra acordos internacionais. Os ministros e os secretários de Estado de todos os Estados-Membros da UE reúnem-se em dez formações diferentes, consoante o assunto a debater.

 

A Comissão Europeia (CE) é o órgão executivo da UE, que é politicamente independente. Nessa qualidade, tem como missão promover o interesse geral da UE, propondo e assegurando a aplicação da legislação.  A direção política da Comissão é exercida por uma equipa de comissários (um por cada país da UE), liderada pelo ou pela presidente da Comissão, que decide da repartição das diferentes pastas pelos comissários. Uma vez aprovadas, as propostas de diplomas legislativos são transmitidas para adoção ao Conselho (que representa os Estados-Membros) e ao Parlamento (representa os cidadãos europeus). A Comissão gere o orçamento da UE e os programas para os diferentes setores (agricultura, pescas, investigação, etc.) em colaboração com as autoridades nacionais.

 

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) é o órgão judicial da UE. A sua missão é assegurar que a as instituições da UE e os Estados-Membros respeitam a legislação europeia e a aplicam da mesma forma em toda a UE, garantindo, assim, que a UE assenta no Estado de direito, um elemento fundamental de todas as entidades democráticas.

 

O Tribunal de Contas Europeu (TCE) é o auditor externo da União Europeia. Foi criado pelo Tratado de Bruxelas em 22 de julho de 1975 e começou a funcionar em outubro de 1977. O TCE é uma das sete instituições da UE. Sediado no Luxemburgo, emprega cerca de 900 pessoas de todas as nacionalidades da UE, que desempenham funções de auditoria, apoio e administração.

 

O Comité das Regiões Europeu (CR) é a voz dos municípios e das regiões da União Europeia. Esta assembleia política reúne mais de 300 políticos locais e regionais, que, através dos seus pareceres e debates com os representantes da Comissão Europeia, do Parlamento Europeu e do Conselho, contribuem para a definição das decisões da UE.

O Comité Económico e Social Europeu (CESE) é uma instância de consulta, diálogo e consenso de características únicas entre representantes dos diferentes setores da sociedade civil organizada, tais como empregadores, sindicatos e agrupamentos como associações profissionais e comunitárias, organizações de jovens, grupos de mulheres, agricultores, consumidores, PME e ativistas ambientais, entre outros. A sua missão é dar voz à sociedade civil organizada.

 

A Autoridade Europeia para a Proteção de Dados (AEPD) é a autoridade independente de proteção de dados da UE que tem por missão garantir que as instituições e os organismos da UE respeitam a legislação em matéria de proteção de dados. Além disso, presta aconselhamento imparcial sobre as políticas e as propostas legislativas que podem afetar os direitos à privacidade e à proteção de dados.

O Serviço Europeu para a Ação Externa (SEAE) é o serviço diplomático da União Europeia, que presta assistência ao responsável pelos negócios estrangeiros da UE, o alto representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, na condução da política externa e de segurança comum da UE. Com sede em Bruxelas, mas dispondo de uma vasta rede de presença diplomática da UE em todo o mundo, o SEAE reúne funcionários europeus, diplomatas dos ministérios de negócios estrangeiros dos Estados-Membros da UE e pessoal local em todo o mundo.

 

O Provedor de Justiça Europeu é um pequeno serviço dinâmico que ajuda os cidadãos nas suas relações com as instituições, organismos e agências da UE. O Provedor investiga queixas sobre questões que vão desde a falta de transparência na tomada de decisões a violações dos direitos fundamentais em matéria contratual, passando pela recusa de acesso a documentos. Além disso, realiza inquéritos por iniciativa própria sobre questões sistémicas e incentiva a adoção de boas práticas administrativas. Com uma equipa de cerca de 80 elementos, o Provedor tem como missão contribuir para uma administração europeia mais eficaz, responsável, transparente e ética.

 

Visite o sítio da Rede de Agências da União Europeia (EUAN) para mais informações sobre as oportunidades de emprego nas agências executivas da UE:

A rede de agências da UE reforça o valor de cada uma das agências europeias e empresas comuns, estreitando a sua colaboração, tendo em vista proporcionar aos cidadãos, às empresas e às instituições europeias as bases adequadas para atingir os objetivos prioritários. Por conseguinte, são como que uma espinha dorsal administrativa eficaz e eficiente em termos de custos da execução das políticas da União Europeia.

 

Instituições e organismos cujo pessoal não é selecionado pelo EPSO:

Criado em 1998, o Banco Central Europeu (BCE) é uma das instituições da UE mais recentes, que conta com mais de 3500 funcionários oriundos de toda a Europa. A sua principal missão é promover a integração e a estabilidade financeiras. O BCE trabalha em estreita colaboração com os 19 bancos centrais nacionais da zona euro. Em conjunto, formam o chamado «Eurosistema». O BCE também tem contactos regulares com os 27 bancos centrais nacionais da UE no âmbito de uma rede denominada «Sistema Europeu de Bancos Centrais».

 

O Banco Europeu de Investimento (BEI) é a instituição financeira da União Europeia. O Grupo BEI é constituído pelo Banco Europeu de Investimento e pelo Fundo Europeu de Investimento. Ambos têm mais de 60 anos de experiência e conhecimento no domínio do financiamento de projetos. Com sede no Luxemburgo, dispõem de uma rede de serviços locais e regionais na Europa e noutras partes do mundo.